PRAÇA JAMES FANSTONE N° 60 - CENTRO
ANÁPOLIS-GO - CEP: 75.020-390 E-MAIL: contato@heg.com.br
Diretor téc HEG: Dr. Carlos Siade RQE 4262 - Cirurgia Vascular/Angiologia - CRM 9155
TELEFONES: (62) 3099-9000 / (62) 3099-9010

Acesse o Webmail

Notícias

Aniversário do Hospital Evangélico Goiano é celebrado com culto em gratidão a Deus

Em 1927, o casal Daisy e James Fanstone fundavam o Hospital Evangélico Goiano. Era a segunda unidade hospitalar do Estado de Goiás e a primeira em atendimento particular com uma estrutura moderna e arrojada. De lá para cá, muita coisa mudou para melhor. A atual direção do HEG, que assumiu no ano de 2009, atua para construir um Hospital mais bem equipado e estruturado para atender aos milhares de pacientes que passam todos os dias pelos corredores da Instituição.

Em 2014, a Entidade está completando 87 anos de história. E como forma de agradecimento, o HEG reuniu, no dia 26 de setembro, sexta-feira, diretores, médicos, colaboradores e demais parceiros do Hospital Evangélico Goiano. Um culto de gratidão a Deus, promovido na Igreja Presbiteriana Central de Anápolis, às 20 horas, contou também com a presença de autoridades locais. O momento foi uma celebração das conquistas alcançadas e também uma forma de agradecer a todos os que de certa maneira estiveram presentes ao longo das quase nove décadas do Evangélico.

O pastor Samuel Vieira, titular da Igreja Presbiteriana Central, levou aos presentes uma mensagem, expressando como Deus atuou e atua na história do HEG. E abordou a importância da gratidão pelo desenvolvimento do Hospital. O cantor Thiago Sgai fez uma apresentação com cânticos para os convidados.  E, ao final, um coquetel foi oferecido aos participantes pelo Hospital Evangélico Goiano.

IMG_8512

Pastor Samuel Vieira

O reverendo Samuel Vieira destacou algumas publicações nacionais e internacionais que incluem a história e vida do Dr. James Fanstone, fundador do Hospital Evangélico Goiano. E também destacou a vida de outros que contribuíram para o desenvolvimento de uma cultura missionária em Anápolis, como a Médica Henrietta Buchan Wilding (Hettie), mãe do cardiologista do HEG Dr. Josiah B. Wilding.

O texto escolhido para a palavra levada aos presentes na Igreja Presbiteriana de Anápolis foi a passagem bíblica contida em Neemias 6:3: ‘E enviei-lhes mensageiros a dizer: Faço uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse, e fosse ter convosco?’. O texto trata da reconstrução dos muros de Jerusalém e sobre como o profeta Neemias abdicou de muito para cumprir este propósito divino.

“O que o dr. James Fanstone fez aqui em Anápolis foi uma grande obra. E é natural entender o quanto o coração dele foi absorvido por essa grande obra que ele foi chamado por Deus para fazer”, citou Samuel Vieira. Sobre o trabalho que foi desenvolvido por Dr. James e Henrietta Wilding, ele lembrou que ambos tinham a noção da “grande obra” que precisavam empreender e que “nada, absolutamente nada pode ser mais importante do que isso”.

Ele abordou a história de Henrietta, que em 1930 saiu da Inglaterra, indo para a Ilha do Bananal (TO), onde cuidava de enfermos locais. Suas viagens para a Cidade de Goiás (GO), onde ficava sua base missionária, era feita por meio de barcos e no lombo de animais e o trajeto durava mais de uma semana. “O coração dela, a vida dela era ali (em Goiás). Ela não tinha outra inspiração”, afirmou.

Sobre a vida profissional de James Fanstone, o reverendo Samuel Vieira lembrou que ele se formou em Medicina pela Universidade de Londres, tendo sido aluno destaque naquela instituição, o segundo melhor colocado em termos de nota. Ele também serviu como médico na Primeira Guerra Mundial. Viveu em Anápolis com sua esposa, Daisy Fanstone, onde, em 1927, fundaram o Hospital Evangélico Goiano.

“Esse homem e essa mulher vêm para cá (Anápolis) por causa de uma convicção de Deus. Deus os chamou para vir para cá”, exclamou o reverendo Samuel, que contou sobre as dificuldades em se exercer medicina naquela época. A primeira cirurgia do Estado de Goiás, conforme relatos, foi feita por James Fanstone em uma cozinha, na sua casa em Anápolis.

“E é isso, exatamente esta situação de dor é que vai desafiar esses homens e essas mulheres a prestarem atenção no chamado de Deus e dizer: ‘eu estou fazendo uma grande obra. Nada mais é importante como isso aqui’.”, comentou Samuel Vieira. Um outro destaque foi dado durante a pregação para honrarias recebidas por James Fanstone em seu país de origem.

Ele foi nomeado oficial de divisão civil do Império Britânico pelo Rei George VI. Na ocasião, Dr. James concedeu entrevista para a rede BBC de televisão. E em 1948, a revista Time publicou um artigo sobre sua história e sobre o Hospital Evangélico Goiano. “Este homem vem para cá para servir a Deus. O coração dele era de servir a Deus”, lembrou Samuel.

Dr. James também foi organista da Igreja Presbiteriana de Anápolis, onde participou ativamente nos cultos. “Este homem deu a vida dele aqui para a glória de Deus, servindo aqui nesta comunidade, servindo aqui nesta cidade, amando esta cidade”, explicitou.

Ainda na pregação, Samuel Vieira lembrou que estes homens e mulheres que assumem um propósito de servir à comunidade possuem a capacidade de compreender a grandeza da vida. “Ver a vida como valor é uma coisa fantástica”, exclamou. Para ele, “esses homens fazem o que fazem porque eles têm a percepção da dor humana e eles se sentem chamados por Deus para amenizar o sofrimento humano”. E por último, evidenciou que possuem uma “compreensão maravilhosa do nome, da grandeza de Deus”.

Ascom/ Felipe Homsi