PRAÇA JAMES FANSTONE N° 60 - CENTRO
ANÁPOLIS-GO - CEP: 75.020-390 E-MAIL: contato@heg.com.br
Diretor téc HEG: Dr. Carlos Siade RQE 4262 - Cirurgia Vascular/Angiologia - CRM 9155
TELEFONES: (62) 3099-9000 / (62) 3099-9010

Acesse o Webmail

Notícias

“Brasil tem um dos melhores programas do mundo de redução do Tabagismo”

fotocelsoheg

Celso Antônio Rodrigues da Silva é Pneumologista. Atua no Distrito Federal como coordenador do Programa Nacional de Controle ao Tabagismo. Sua palestra sobre este tema durante a ‘Semana interna de prevenção de acidentes de trabalho’ (SIPAT) do Hospital Evangélico Goiano, na semana passada, atraiu um público formado por médicos, enfermeiras e demais colaboradores do HEG.

Em entrevista à Assessoria de Comunicação do Hospital, o Doutor Celso Antônio destacou que “o Brasil tem um dos melhores programas do mundo de redução do Tabagismo”. O Especialista, que trabalha em Brasília no Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, destacou a Lei 12.546, de 14 de dezembro de 2011, que trata, entre outros, dos impostos aplicados à comercialização do cigarro e a regras para a venda e propaganda deste produto em território nacional.

“Essa lei obriga a ter ambientes cem por cento livre de cigarros no Brasil”, pontuou. Conforme informou, “grande parte da população, só de tomar conhecimento (da Lei), acaba mudando de opinião. Ou para de fumar sozinha ou procura apoio médico”. Celso Antônio citou ainda que “o Brasil todo oferece tratamento com especialista em Tabagismo: médicos, assistentes sociais, nutricionistas, reuniões em grupo”. “Quando (o paciente) precisa de apoio medicamentoso, há a distribuição de medicamentos”.

Medicamentos repositores de nicotina e antidepressivos à base de Bupropiona estão entre as alternativas para a pessoa que quer parar de fumar. Existe ainda, lembrou o especialista em Tabagismo, “tratamento cognitivo-comportamental” para os pacientes. Como principais resultados das ações empreendidas no Brasil contra o Tabagismo, ele mencionou a diminuição de infartos e Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC’s) no país.

“É possível parar de fumar”, destacou. Doutor Celso indicou que os dados em Goiás são animadores. No Estado, em 2000, a população fumante era de 39%, número que diminuiu em 2012 para 9.9%. Isso, para ele, “mostra uma resposta em relação aos programas (de combate ao fumo) que são desenvolvidos, tratamentos modernos e apoio da mídia”.

Fatores de risco

O pneumologista Celso Antônio Rodrigues da Silva abordou a relação entre os fatores de risco para o câncer e o tabagismo. “A nicotina tem 62 substâncias que são cancerígenas. Essas substâncias alteram o Gene de uma célula, formando um tecido diferente. A célula vai deformando”, explicou.

Ascom/ Felipe Homsi