PRAÇA JAMES FANSTONE N° 60 - CENTRO
ANÁPOLIS-GO - CEP: 75.020-390 E-MAIL: contato@heg.com.br
Diretor téc HEG: Dr. Carlos Siade RQE 4262 - Cirurgia Vascular/Angiologia - CRM 9155
TELEFONES: (62) 3099-9000 / (62) 3099-9010

Acesse o Webmail

Notícias

Com o dobro de pacientes no pronto-socorro, HEG adota medidas para garantir qualidade de atendimento

Os atendimentos realizados no pronto-socorro do Hospital Evangélico Goiano (HEG) aumentaram de três mil para aproximadamente seis mil apenas nos últimos dois meses.
Para acompanhar esse crescimento e continuar garantindo um atendimento de qualidade aos pacientes, a unidade aderiu a algumas mudanças essenciais para o bom funcionamento.
À frente da coordenação do pronto-socorro há quatro meses, o médico Thiago Vieira contou que a equipe está empenhada em entender o fluxo da emergência, de forma que todos que buscarem ajuda médica consigam um atendimento mais ágil.
“De forma emergencial, nós estamos ampliando o número de médicos para os pacientes mais graves. Antes tínhamos um e agora estamos trabalhando com dois plantonistas”, explicou.
Segundo Thiago, também estão sendo desenhadas medidas a médio e longo prazo, como a ampliação dos horários de atendimento.

A expectativa é que, em breve, o HEG passe a receber pacientes até às 23h, ao invés de 17h.
Estão sendo aperfeiçoadas ainda as pulseiras de prioridade, que definem por cores o quadro clínico de cada paciente em uma triagem, garantindo que os casos mais graves recebam atenção imediata.
“Os pacientes de maior gravidade, que são os vermelhos e laranjas, vão entrar e ser atendidos na mesma hora. Já os com menor gravidade, que são os azuis, verdes e amarelos, serão atendidos na policlínica, que fica ao lado da emergência. Assim eles não precisam esperar tanto e os dois médicos do pronto-socorro ficam reservados para os que correm risco maior de morte. Não estamos deixando de atender e priorizar os pacientes de menores complexidade, estamos salvando mais vidas”, disse.
Superlotação
Ainda segundo o médico, há alguns fatores importantes que influenciam na alta demanda por atendimento no pronto-socorro do Hospital Evangélico Goiano.
Dentre eles estão os vários casos de dengue e a estrutura da saúde em Anápolis, que sofreu “uma redução da rede pública” e acabou impactando também dentro dos serviços particulares e conveniados.