PRAÇA JAMES FANSTONE N° 60 - CENTRO
ANÁPOLIS-GO - CEP: 75.020-390 E-MAIL: contato@heg.com.br
Diretor téc HEG: Dr. Carlos Siade RQE 4262 - Cirurgia Vascular/Angiologia - CRM 9155
TELEFONES: (62) 3099-9000 / (62) 3099-9010

Acesse o Webmail

Notícias

UTI do Hospital Evangélico Goiano recebe selo Top Performer pela alta eficiência dos serviços

A qualidade do atendimento prestado pela Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Evangélico Goiano levou a instituição a conquistar o selo Top Performer, concedido pela empresa Epimed Solutions, especializada na gestão de informações clínicas e epidemiológicas.

O reconhecimento veio após uma série de investimentos feitos pela direção do HEG no setor, juntamente com a qualidade dos serviços, já reconhecidos em todo o Estado de Goiás. O selo Top Performer é concedido pela Epimed Solutions às unidades de terapia intensiva de todo o país que apresentam alta performance, de acordo com a Matriz de Eficiência gerada pelo Sistema Epimed Monitor.

Uma UTI é certificada como Top Performer se, no ano anterior, apresentar taxas de mortalidade (TMP) e de utilização de recursos (TURP) padronizadas de acordo escore de avaliação próprio.

UTI

Os chamados pacientes críticos necessitam de atenção especial dentro da rotina de uma instituição hospitalar. No Hospital Evangélico Goiano, uma série de dispositivos de segurança são utilizados para garantir um tratamento adequado e assegurar que o tempo de permanência na Unidade de Terapia Intensiva – UTI seja abreviado.

Um dos fatores que demandam maior observação durante o período em que o paciente está internado na UTI é a desnutrição hospitalar. Uma má nutrição pode levar a um quadro de queda da imunidade, processos inflamatórios, aumento dos índices de infecção e menor eficácia do tratamento. Para reduzir a chance de ocorrências desses fatores, uma série de medidas são tomadas.

A nutrição enteral (sonda ou via oral) ou parenterais (intravenosa) são opções dentro do ambiente de UTI que podem ser fatores decisivos na recuperação dos pacientes internados e que poderão fazer diferença no índice de recuperação dentro do ambiente hospitalar. No HEG, uma nutricionista clínica faz o acompanhamento de todos os casos para estabelecer uma dieta adequada.

A infecção hospitalar, que pode se tornar um fator de risco para pacientes internados na UTI, é rigorosamente controlada, com cultura de vigilância e controle do cuidado com dispositivos invasivos – os pacientes são monitorados através de indicadores de desempenho que refletem o trabalho de uma equipe multiprofissional formada por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, psicologia, farmácia clínica e equipe técnica de enfermagem.

No caso daqueles que necessitam de dispositivos como respiração mecânica; alimentação enteral e parenteral e demais aparelhos é feita a Higienização adequada através de checklists de cuidado de manutenção. Existem critérios rigorosos de admissão e alta dos pacientes na uti, além do controle de cuidado e monitorização do tempo de permanência.

Existe também um score (nível) de gravidade para avaliar possíveis complicações dos pacientes de enfermaria, os chamados mews, visando a segurança do paciente internado. Indicadores de segurança são medidos continuamente para avaliação do nível da qualidade do cuidado e feedback para a equipe multiprofissional.

Uma vez que indicadores extrapolam limites críticos aceitáveis, medidas de controle são preventivamente tomadas para impedir que haja queda na qualidade do cuidado do paciente atendido no HEG. Com esse conjunto de medidas de controle de qualidade, tem sido observado uma queda importante no número de complicações, com diminuição das taxas de desfechos desfavoráveis e recuperação mais rápida dos pacientes Internados no Hospital Evangélico Goiano.